A amizade duplica as alegrias e é um elemento protetor da nossa saúde psicológica e física. Está comprovado que o isolamento tem grande incidência na mortalidade; de facto, existem pesquisas que afirmam que a falta de apoio psicológico pode causar efeitos nocivos sobre a saúde equivalentes ao tabaco, à pressão arterial elevada, ao nível de colesterol elevado, à obesidade ou à falta de exercício físico.

Neste sentido, podemos afirmar que os laços estreitos que criamos com os outros duplicam o nosso bem-estar e dividem a angústia pela metade. Porque criar relacionamentos emocionais próximos nos fortalece, não há dúvida quanto a isto.

É verdade que não é fácil conseguir uma proximidade psicológica realizadora com as pessoas que nos rodeiam, pois muitas vezes as decepções nos fazem preferir a solidão. Contudo, enquanto esta mesma solidão não se transforma em isolamento, a nossa saúde não precisa ser prejudicada.

A amizade, a formação de laços afetivos
Estar rodeado de pessoas que nos amam nos torna psicologicamente fortes e previne dificuldades emocionais derivadas de questões diversas como um divórcio, um obstáculo financeiro ou uma doença.

Isto é, ter amigos ajuda-nos a dividir o stress. É maravilhoso poder ter um confidente, uma pessoa que possa oferecer-nos ajuda, conselho ou um ombro no qual chorar. Só a presença de pessoas queridas nas nossas vidas diminui o impacto dos contratempos diários com os quais temos que lidar.

Portanto, a qualidade e a frequência dos nossos relacionamentos de amizade parecem ser chave na hora de reduzir o mal-estar e a angústia que as vezes nos prende. As palavras de Robin, em “As intrépidas aventuras de Robin Hood”, ilustram esta questão:

«Fala livremente e revela as tuas aflições. O fluir das palavras apazigua o coração de quem sofre; é como abrir as comportas quando a represa ameaça transbordar».

O fortalecimento das nossas habilidades emocionais
Quando falamos de habilidades emocionais referimo-nos à nossa capacidade de reconhecimento, canalização e domínio dos sentimentos próprios, da empatia e dos sentimentos que aparecem nos relacionamentos sociais.

Portanto, não é de estranhar que quando temos bons amigos ao nosso redor consigamos fortalecer as nossas habilidades emocionais. Isto, por sua vez, permite ter uma melhor disposição para que os outros se aproximem de nós (e vice-versa), de modo que teremos mais opções de criar relacionamentos significativos.

Essa sensação maravilhosa da amizade, de ter um cinto de segurança emocional que nos protege, não se compara a nada. Sentir que somos queridos não é apenas animador, como também estimulante e revitalizante.

Também vais gostar destes:
Primos, uma amizade especial dentro da mesma árvore genealógica!
O que está a acontecer à amizade?

Ser consciente de que alguém quer te ver, falar contigo e saber como estás cria um status emocional que nos resgata do abismo em infinitas situações. Por isso, podes  ter certeza de que essas pessoas de quem tanto gostas constituem uma parte importantíssima do teu salva-vidas.

Não te esqueças: um sorriso, uma conversa ou uma palavra de ânimo são verdadeiros salva-vidas que nos mantêm a salvo quando caímos na prisão do medo e do mal-estar.

Loading...
loading...
loading...