Dizer palavrões é a “expressão de emoções genuína e sem filtro”, o que faz com que os psicólogos sugiram que as pessoas que costumam ter menos cuidado com a linguagem sejam mais honestas e sinceras.

Ao que parece, as pessoas que do nada se saem com as palavras que fazem muitos arregalar os olhos de choque estão mais preocupadas com dizer a verdade e em não magoar ninguém do que com respeitar as regras sociais.

Anteriormente um estudo publicado na revista Language Sciences já havia sugerido que as pessoas que dizem palavrões com frequência possuem um vocabulário mais vasto do que as ‘politicamente corretas’.

Agora, um estudo aceite para publicação na revista científica Social Psychological and Personality descobriu que as pessoas que gostavam de palavrões e os diziam com mais frequência eram menos propensas a mentir.

Segundo o Daily Mail o estudo revela que as pessoas que usavam palavrões no Facebook também mentiam menos vezes online para melhorar a sua imagem.

O coautor do estudo David Stillwell, da Universidade de Cambridge, disse: “Há duas formas de olhar para isto. Pode achar que se alguém diz muitos palavrões, o que é um comportamento social negativo visto como algo que não se deve fazer, provavelmente também é uma má pessoa. Ou por outro lado, que essa pessoa não está a ter cuidado com o que diz, então provavelmente também não está a contar histórias, que através de certos filtros são mentiras.

Também vais gostar destes:
És desarrumado? Isso não é defeito mas sim uma grande qualidade!
Pessoas inteligentes tendem a ser mais desorganizadas, ficar acordadas mais tempo e a dizer mais palavrões, diz estudo.

A ideia é simples, quem não tem cuidados acrescidos com a linguagem não tem tempo para inventar histórias ou ‘brincar’ com a verdade.
Este estudo contou com a participação de mais de 74 mil pessoas – 276 pessoas inquiridas e 74 mil analisadas através do Facebook.

Loading...
loading...
loading...