A ti que também és refém da ansiedade:

Oi, tudo bem? Eu só queria te dizer que estamos no mesmo barco. Eu também sei como é sentir o peso das escolhas antes mesmo delas serem feitas. Eu também sei como é passar noites em claro a pensar em algo que só irás fazer daqui duas semanas, dois meses, ou dois anos. Eu também sei como é perder o apetite, a concentração, e até mesmo a cabeça; apenas a tentar encontrar soluções para um problema que nem chegou perto de acontecer.

O que eu quero que saibas é que eu entendo o que sentes. E que, juntos, podemos tirar das mãos do futuro todos aqueles sentimentos que nos impedem de chegar onde o presente nos espera.

A ansiedade pode nos afetar de diversas formas, e, por isso, cada pessoa apresenta um ponto fraco diferente. Pode ser que percas noites de sono pensando naquela apresentação em público. Pode ser que não te sintas confortável em fazer novas amizades, ou que te preocupes em excesso com coisas que nem merecem a tua atenção. Toda a pessoa ansiosa trava uma batalha diária com o medo; o medo de não ser boa o suficiente, o medo de se relacionar com pessoas diferentes, o medo de sair da sua zona de conforto.

Justamente por isso, todo o refém da ansiedade também é um perfeccionista, pois carrega dentro si a obrigação de não deixar ninguém perceber que alguma coisa passou batido. E esse medo de errar acaba sendo o seu maior travão de mão frente à realidade que o cerca.

O que eu quero que saibas, eu que eu já não me perco mais como antes, pois, hoje, eu sei por qual caminho eu devo seguir. Eu já perdi amores, já perdi dinheiro, já perdi amizades, mas eu nunca perdi a esperança de me encontrar novamente. E é por isso que eu quero que não desistas.

Muitas pessoas não conseguirão enxergar o seu problema. E muitas outras irão te deixar pelo caminho. Precisas ser forte. Mais forte do que tens sido durante todo esse tempo. Apesar de ainda não conseguires ver muito bem além da curva, eu garanto-te que essa caminhada vale a pena. A vista do lado de cá é linda, e libertadora também.

Permite-te chorar em dias nublados, não precisas ser sol todos os dias. Não precisas carregar peso desnecessário. Só precisas aprender a ser suficiente. Não precisas agradar a ninguém além de ti mesmo. Quando o mundo estiver pesado, pára para descansar. Livra-te da obrigação de ser sempre forte. A fraqueza, às vezes, é a fortaleza das pessoas que são mais coração do que razão.

Também vais gostar destes:
Como ajudar alguém que sofre de Síndrome do Pânico/Ansiedade.
A ansiedade pode ser perigosa e precisa de ajuda se identificarmos determinados factores. 

Podes ser quem quiseres, podes chegar onde quiseres e também podes sair dessa, se quiseres. Ninguém entende mais de superação do que tu, não é mesmo? Lembra-te: estamos juntos.

Em breve nos encontraremos do outro lado da curva. =)

Loading...