Uma possível depressão é um dos diagnósticos mais frequentes nas consultas de atenção primária, um transtorno do estado de ânimo que paralisa as vidas e atrapalha a felicidade.

Pressão no trabalho, sensação de solidão, problemas familiares, falta de espaço pessoal e de qualidade de vida…

Os factores que determinam uma possível depressão são vários, além de serem muito pessoais.

Devemos lembrar que nenhuma depressão é igual, e que nem todas as pessoas processam as emoções e os problemas da mesma maneira. Assim, na hora de tratar uma depressão, precisamos de diversas áreas: terapias, suporte farmacológico, apoio social e, acima de tudo, uma clara vontade pessoal de superar esta dificuldade.

Sintomas de uma possível depressão
Há uma informação importante que é transmitida por muitos profissionais de saúde: a depressão nunca é fácil de diagnosticar, já que, em algumas ocasiões, se confunde com outras doenças secundárias. Normalmente os médicos de cuidados primários têm pouco tempo para chegar a um diagnóstico, e muitas vezes concentram-se mais nos sintomas, como dor de cabeça ou insónia, do que na autêntica realidade subjacente: a depressão.

Por isso é fundamental que nós mesmos sejamos conscientes do que está a ocorrer. O desânimo, a tristeza ou a frustração muitas vezes apresentam-se juntos com doenças psicossomáticas, efeitos secundários de um problema emocional que não foi tratado de forma eficaz. Dessa forma, tenha em mente os seguintes sintomas. Se te identificares com 4 ou mais deles, poderíamos estar a falar de um indício de depressão.

1. A insónia
Não falamos de uma insónia temporária, mas sim de algo crónico que nos impeça de recuperar forças, que faça com que nos levantemos cansados e desanimados. É comum recorrer a soníferos para encontrar o descanso, mas o normal é que seja difícil pegar no sono quando nos deitamos porque há algo que nos preocupa.

2. Alterações no apetite
Notas que comes por ansiedade? Ou talvez sejas daqueles que perderam completamente a vontade de comer? Algumas pessoas ganham peso sem saber por que, enquanto outras caem em perigosos estados de anorexia que escondem, na realidade, uma depressão.

3. Pensamentos obsessivos
Algumas ideias simplesmente não desaparecem da nossa mente. Perguntas, imagens ou recordações das quais não podemos nos livrar. São pensamentos obsessivos que nos enchem de ansiedade e que não podemos controlar. Algo assim gera um grande esgotamento mental e uma grande desesperança.

4. Pensamentos negativos e de culpa
Além de todos estes pensamentos obsessivos, é muito comum cairmos num negativismo muito característico. Vemos tudo pelo lado mais escuro e perdemos a vontade de nos levantar pela manhã. Atormentamo-nos com sentimentos de culpa. Inclusive, é difícil aceitar a ajuda de outras pessoas, e preferimos manter-nos na solidão.

5. Dificuldade de concentração
Estamos ausentes, desconcentrados. Esquecemos de muitas coisas e é muito difícil direcionar a nossa atenção a algo concreto. Sentimos-nos cansados e sentimos ainda mais esgotados quando os outros nos chamam à atenção por nossos equívocos e esquecimentos.

6. Dificuldade para tomar decisões
Sabes que deverias pedir ajuda, ou mais ainda,  és consciente de que o melhor para ti seria enfrentar o que está a acontecer. Entretanto, sentes-te incapaz de fazê-lo. O cansaço físico e mental é tão elevado que não deixa que te entendas contigo mesmo. Sentes-te frágil, incapaz de tomar decisões firmes.

7. O grande cansaço matinal
As pessoas com depressão costumam coincidir num aspecto muito claro: as manhãs são o pior momento do dia. Abrir os olhos e ter que enfrentar uma nova jornada é algo que nos esgota. Sentimo-nos muito lentos e sem nenhuma força para sair da cama.

Também vais gostar destes:
A depressão e a ansiedade não são sinais de fraqueza, mas sim de luta!
Maldita sejas tu depressão!

8. A luz incomoda
A pessoa com depressão prefere estar num cómodo com as cortinas fechadas, onde a luz não seja muito intensa. Preferem a solidão e o recolhimento.

9. Dor física
Enxaquecas, problemas musculares, problemas digestivos, taquicardias, cansaço crónico… todos estes são sintomas psicossomáticos que nos alertam sobre uma possível depressão.

10. Falta de interesse social
Preferem ficar sozinhos a relacionar-se com amigos e até com familiares. Perdeminclusive o desejo pelo companheiro, e é muito difícil ouvir os conselhos dos outros. Têm a sensação de que ninguém os compreender de que ninguém sente o que sentem.
sin

Enfrentar uma depressão
A depressão é enfrentada com coragem e com todas as forças que possas encontrar internamente, aceitando toda a ajuda que, com sinceridade, aqueles que estão ao teu redor possam oferecer. Toma nota:

  • Pensa que tens direito a ser feliz de novo, que deves recuperar a vontade de aproveitar o presente e o futuro. O passado é passado e não existe mais. O importante é o “aqui e agora” e a tua própria felicidade.
  • Uma depressão é superada passo a passo e através de pequenos sucessos quotidianos. Hoje vais sair de casa e passear. Amanhã farás alguma pequena mudança: um novo corte de cabelo, um novo vestido, passar um tempo com alguém. O dia seguinte farás uma mudança maior, inscreveres-te num curso ou estabelecendo um objectivo mais complicado. Dia após dia, irás te sentir melhor se começares a dar pequenos passos com segurança e auto-estima.

Lembra-te de algo importante: Todos temos o direito de cair, mas é obrigatório nos levantarmos.

FONTEMelhor com saúde