Tomar distância dos conflitos e pessoas conflituosas melhora a nossa saúde física e emocional. Há pessoas que nos esgotam, que nos consomem a energia e que aniquilam a nossa capacidade de reação. São verdadeiros destruidores da nossa saúde e da nossa paz interior, adoecem nossa capacidade emocional e distorcem a nossa sensibilidade.
A verdade é que, com o passar do tempo, acabamos por nos enganar com muitas das pessoas que acreditávamos conhecer, e nos damos conta de que vivíamos submetidos às suas exigências, aos seus argumentos, aos seus comportamentos e, sobretudo, às suas emoções tóxicas.
Estas pessoas não sabem respeitar nem considerar os outros, elas os utilizam como marionetes do seu mau caráter e como alvos dos seus conflitos externos e internos. Elas não vivem nem deixam viver e, como consequência, freiam o desenvolvimento e crescimento pessoal dos que as rodeiam.
Pode ser que o façam de maneira consciente ou não, mas o facto é que nos esgotam e nos intoxicam fazendo com que nos sintamos vulneráveis, que nos zanguemos com facilidade ou que tenhamos vontade de ir embora e deixar tudo para trás.
Entretanto, nem sempre é possível nos afastarmos fisicamente dessas pessoas, pois, por exemplo, podem ser familiares ou colegas de trabalho. Não obstante, se tivermos a possibilidade de impor uma distância física, isso seria o complemento mais apropriado para a nossa saúde.
Possamos ou não fazê-lo, o que é verdadeiramente importante é obter um distanciamento emocional. Ou seja, o melhor é conseguir ter força suficiente para nos mantermos fora da sua capacidade de ação, para que os seus comportamentos não nos influenciem.
Como podemos conseguir nos distanciar emocionalmente de alguém que nos faz mal?

Se tiveres na tua vida alguém que te faz mal, podes agir com a vantagem da antecipação, pois sabes que as tuas reações ou tuas intenções serão cada vez mais previsíveis.
Nesse sentido, cabe assinalar o que comentávamos anteriormente: talvez as pessoas que nos rodeiam não queiram criar um ambiente ruim, mas elas não sabem se relacionar com o entorno de outra maneira.
Ou seja, ao deixares de dar importância ao que essas pessoas fazem e parar de focar a tua atenção nos problemas que estão criando, disporás da tua vida para ter mais oportunidades de crescimento e deixará de minar suas forças e a tua auto-estima.
Por essas razões, temos que agir com as expectativas. Esperamos tanto dos outros que somos incapazes de aceitar a realidade tal e como ela é. Isso gera desilusões e submissões, alimentando uma atmosfera em que fica muito complicado respirar.
Manter a perspectiva nos ajudará a obter certa indiferença e nos fará descer dessa montanha-russa emocional, conseguindo separar as nossas preocupações das dos demais e nos libertando das suas inseguranças e de suas reações desproporcionais.
A ideia é esclarecer as nossa mente e poder expor os nossos pensamentos e emoções sem medo das consequências quando chegar o momento. Isso terá um resultado tão rápido e direto quanto satisfatório: os nossos problemas diminuirão e poderemos viver em paz.

Também vais gostar destes:
Admiro as pessoas nobres que não se acham mais do que ninguém!
As pessoas que não têm vida costumam questionar a dos outros!

Quando nos afastamos da dor, nos aproximamos da felicidade
Afasta-te do medo e aproxima-te da indiferença. Não insistas tentando manter uma boa impressão para os outros ou pensando que eles sempre têm boas intenções.
Dizem que quando alguém têm a intenção de nos machucar, o melhor desprezo é não dar atenção a ele; quer dizer, não deixar que a pessoa diminua a nossa auto-estima e ignorar as suas mensagens negativas.
Os ambientes tóxicos e conflitivos têm uma capacidade de contaminação devastadora para a nossa saúde e quanto mais distância emocional mantivermos deles, melhor vamos nos sentir.
A vida é muito curta para viver angustiado. Por isso, ama as pessoas que te tratam bem e distancia-te dos que não o fazem. Sem remorsos.

FONTEA mente é maravilhosa