“Ama mais, perdoa mais, abraça mais, vive mais intensamente…”

“Essa vida vai passar rápido. Não brigues com as pessoas. Não critiques tanto o teu corpo. Não reclames tanto… Não deixes de beijar os teus amores…”

Lemos, relemos e refletimos na importância do momento presente, mas será que realmente estamos conseguindo viver o agora? Ou estamos ainda à espera por algo, o momento perfeito, as pessoas perfeitas, para darmos o melhor de nós mesmos?

Se essa espera procede, é em vão, pois não existe ninguém perfeito. Se conheces algum ser humano que se considera perfeito, cuidado, pode ser que estejas a conviver com alguém de outro planeta e não saibas. O mundo em que vivemos é como uma grande escola, onde até os grandes mestres estão, também, na condição de aprendizes e não na perfeição idealizada, mesmo que já possuam uma aprendizagem infinito para nos passar e exemplificar.

Portanto, coloca um sorriso no rosto mesmo que seja 6h da manhã e o teu dia não pareça estar tão bom quanto o da pessoa ao lado que te deu “bom dia”. Sempre que te lembrares sorri na intenção apenas de arrancar outros sorrisos. Esse gesto tem o poder de iluminar todo o teu dia, mesmo que te cause rubor por um tempo

Quando fores fazer uma refeição, come pelo menos uma coisa que gostes muito e saboreia a comida ao invés de apenas mastigar e engolir, sentindo gratidão. Não há melhor oração do que essa. Observa mais os pássaros, a natureza… Observa as outras pessoas sem medo, percebe como despertam curiosidade, simpatia e uma imensa vontade de entrar no mundo delas, quando conseguimos por um momento nos desprender do nosso.

Também vais gostar destes:
Não quero amar alguém cagão
As crianças amadas tornam-se adultos que sabem amar.

Leva a vida de forma mais leve. O mal vai continuar a existir, não há muita coisa que possas fazer além de reformar intimamente a ti mesmo a cada dia.

Pessoas vão continuar a puxar o teu tapete, vão tentar te fazer sofrer e, eventualmente, vão tentar tirar tudo ti. Mas não deixes que roubem a tua paz, a tua felicidade e a tua gratidão por existires. Pois viver no amor, relevando tudo o que magoa o coração, é consentir a tua própria ressurreição em vida.