Amigos para a vida toda: são poucos, mas valem muito. Conforme crescemos, é mais fácil deixarmos de lado algumas amizades que cultivamos na escola ou na faculdade, principalmente devido à nova rotina que se estabelece nas nossas vidas. Tenho sentido muito isso nos últimos tempos e confesso que por um lado me sinto culpada por não continuar ao lado de muitos que já chamei de amigos.

A princípio não entendíamos muito bem a razão disso, mas depois nos demos conta de que simplesmente aquelas pessoas não tinham mais nada a ver com a gente. Aquelas pessoas simplesmente não combinavam mais com quem nós éramos hoje.

Talvez, lá atrás, fizesse sentido sair com elas no fim de semana, marcas jantares, contar sobre a vida, fazer planos de viagens. Hoje, no entanto, isso já não faz mais sentido nenhum. E está tudo bem. Não precisamos de um cardápio de amigos para sermos felizes e não devemos nos sentir culpados por sermos mais selectivo.

Amigos são muito importantes, mas o primordial não é a quantidade e sim a qualidade. O que realmente faz deles nossos amigos é se estão ao nosso lado quando precisamos, se sabemos que podemos contar nossas inseguranças e sonhos sem medo de sermos julgados, se temos a certeza de que ali existe uma conexão verdadeira.

Também vais gostar destes:
Caranguejo fugiu da frigideira e desligou o fogão para salvar os amigos!
Sim, há amigos falsos e detectá-los está longe de ser difícil.

Hoje, tenho alguns poucos amigos. Provavelmente não consigo preencher duas mãos, mas me sinto plena e satisfeita. Esses poucos que me restam são aqueles que tenho certeza de que levarei comigo pelo resto da vida. São poucos, mas são aqueles que valem muito.
TEXTOBruna Cosenza

Partilha
Loading...