As crianças não são hiperactivas, são mal-educadas. Gente mais informada e menos informada gosta muito de debater um assunto demasiado sério nas mesas de café, que é o de terem em casa crianças hiperativas, que na maioria das vezes não são nada disso, são simplesmente crianças mal comportadas, o que é totalmente diferente.

Muitos pais de outras gerações gostam de olhar para o mundo das crianças como se de um inferno se tratasse, em comparação com o paraíso que se vivia na sua própria infância.

Em 2013, Henrique Raposo escreveu uma crónica no Expresso que gerou polémica. No geral, o que ele diz é que as crianças de hoje são mal educadas e mal comportadas, e os pais justificam esses comportamentos com a hiperatividade, procurando medicação para tal condição, em vez de quererem perder tempo a dar-lhes educação.

Com alguma frequência encontramos miúdos mal educados, birrentos, desrespeitosos, mas isso é uma coisa de hoje? Antigamente todas as crianças eram bem educadas e calmas?

Não. Também há uns valentes anos haviam miúdos rufias na escola que insultavam os professores, batiam nos colegas, assaltavam os mais novos e desafiavam os funcionários. Não é um problema apenas de agora, desenganem-se.

A ideia generalizada de que os pais de hoje não querem saber da educação dos filhos e que só querem que eles não os incomodem não é verdade. Se as mães de hoje têm menos tempo do que há 20, 30 ou 40 anos, até porque a população feminina trabalhadora é muito superior agora ao que era, por outro lado, os pais (homens) estão muito mais participativos e empenhados na ajuda educativa e não deixam tudo em cima da mulher, como antigamente.

As crianças de hoje são o que sempre foram, crianças. Claro que há umas que são birrentas e insuportáveis, que não se sabem comportar em locais públicos, mas não é um problema de hoje, já haviam crianças há 20 anos, há 30 anos e provavelmente há 100 anos também.

A maior mudança está nos adultos e não nas crianças. É aos adultos que compete agir de forma totalmente racional e não emocional, porque eles é que são adultos. Exigir a uma criança que se comporte como um adulto é a mesma coisa que tentar manter um cão sentado durante meia hora, ou seja, é impossível. Está na natureza das crianças levantar-se para ir brincar, fazer avarias.

A ideia de que as crianças de hoje são mal comportadas é um cliché, assim como também é a ideia de que os pais são uns bananas que os deixam fazer tudo o que eles querem.

São ideias feitas defendidas e repetidas quase sempre por quem não tem filhos, por quem não sabe ou já não se lembra do que é uma criança, e por quem coloca o seu mundo à frente de tudo.

Também vais gostar destes:
Na Rússia é proibido contar para as crianças que homossexuais existem.
Como ensinar às crianças as palavras mágicas “por favor” e “obrigado”

Também não gosto de estar num café e de ter ao meu lado uma crianças aos berros, até porque tenho direito a estar ali em paz. Mas o grande problema não é o facto dos adultos não tolerarem berros, é não tolerarem um só berro.

FONTEExpresso

Partilha
Loading...