Um bebé de sete meses chamado Aidin, foi atirado para uma uma cova na Tailândia poucos dias depois do seu nascimento e como se não bastasse a crueldade, ele ainda foi esfaqueado 14 vezes.

No entanto, por uma sorte divina, ele foi encontrado por um fazendeiro Kachit Krongyut, que andava pela região e viu um pé saindo do chão debaixo de uma árvore de eucalipto. Em seguida, ele ouviu gritos do menino e então percebeu que era um bebé enterrado vivo.

No início, eu pensei que alguém tinha enterrado o seu animal de estimação vivo, mas então eu vi um pé. Eu tentei me controlar para conseguir pedir ajuda, mas o bebé foi enterrado com a sua face voltada para baixo, foi horrível“, conta Kachit Krongyut.

Krongyut começou a cavar freneticamente a terra com as próprias mãos para tirar o recém-nascido de lá de dentro. Finalmente ele conseguiu, então, levou Aidin ao hospital para se recuperar dos graves ferimentos em seu pequeno corpo. Os médicos prontamente disseram que a pressão do solo contra o corpo de Aidin que impediu que ele sangrasse até a morte.

Ele tem muita sorte. Algumas horas mais tarde e ele poderia não ter sobrevivido. Estamos muito felizes que ele tenha encontrado um lar amoroso para viver. Ele vai fazer o bem na terra, temos certeza disso“, afirma Krongyut.

Também vais gostar destes:
Advogado Brandão de Melo “responsabiliza” crianças por abusos sexuais e Goucha vai aos arames.
Abusador de crianças paga metade de indemnização livra-se da cadeia.

Quanto ao responsável pela atrocidade, algumas pegadas e uma trilha de moto deixadas na cena ajudaram a polícia a encontrar a criminosa: a própria mãe de Aidin. A mulher tem 42 anos de idade e segundo os médicos, ela pode ter abusado do menino antes de cometer a barbaridade. A mãe de Aidin foi acusada de tentativa de homicídio e abandono de incapaz. A suspeita é de que a mulher tenha feito isso pois abortos são ilegais na Tailândia.

Esfaqueado
Esfaqueado

Agora, Aidin se recupera bem e parece estar realmente muito contente pela nova chance de viver!

Esperamos que a justiça seja feita, mas o mais importante é que Aidin se recupere e seja imensamente feliz com a sua nova família.