As brincadeiras de antigamente já nada são como as de hoje em dia, em as crianças valorizam e muito as consolas, tablets e televisão.

Quando visualizas a tua infância, não te vem logo à memória uma série de brincadeiras, que foram para ti inesquecíveis, de tão divertidas que eram e em que convivias mais com os teus amigos e colegas. É pena que nos tempos modernos, os nossos filhos estão tão alheados desse mundo tão mais bonito e mais saudável que foi a nossa infância.

Neste artigo vamos mencionar 6 brincadeiras antigas do nosso tempo de infância para que possamos ensiná-las aos nossos filhos e incentivá-los a experimentar sensações boas. Mesmo que eles façam cara feia e protestem, insiste para que conheçam a infância bonita que tínhamos na idade deles e as brincadeiras de outrora.

Brincadeiras de antigamente

Vamos seduzir os nossos meninos com estas seis brincadeiras antigas, vamos lá!

As escondidas

É um jogo que obrigatoriamente terá que ter pelo menos 3 crianças, ou até mais, para se tornar mais interessante. Consiste em que um dos elementos tem que tapar os olhos e contar até 100 para que dê tempo aos colegas ou amigos de se esconderem em sítios improváveis de serem descobertos. De seguida o que teve a cara tapada tem que ir à descoberta dos que estão escondidos e depois de o descobrir chegar primeiro ao lugar onde tinha a cara tapada, um dos elementos que ganhar pode até salvar todos, se não o que foi descoberto passa a ser o próximo a ir em busca dos escondidos.

Este tipo de brincadeiras são todas praticamente para serem feitos ao ar livre e permite uma descoberta e também socialização com os outros.

Brincadeiras de antigamente
Brincadeiras de antigamente

A macaca

Neste jogo, também são precisos, pelo menos, 3 elementos e consiste em fazer no chão com giz, o desenho de três quadrados alinhados por cima uns dos outros e dois quadrados de cada lado. A seguir atira-se uma pequena pedra e no quadrado que ela calhar a criança terá que fazer o percurso ao pé-coxinho sem o deixar tocar no chão ou linha, pegar na pedra e fazer o percurso inverso na mesma situação, se conseguir fazer o percurso todo sem se descuidar com o pé no chão ganha, se não passa ao próximo perdendo o jogo.

Brincadeiras de antigamente

Cabra cega

Nesta brincadeira, é preciso existir três ou mais jogadores, para se tornar mais atrativo. Aqui uma das crianças tapa a cara com um lenço em que não se veja nada e tem que tentar apanhar os outros, através dos sons que eles irão fazer ou mesmo palavras que irão dizer. O jogador que ele primeiro conseguir apanhar passa a ser o próximo a ter a cara tapada e recomeça tudo outra vez. Neste jogo, apenas tem que se ter atenção onde é feito e onde não exista móveis ou obstáculos que eles se possam aleijar.

Brincadeiras de antigamente

O pião

Jogo tão antigo, onde ainda os brinquedos eram muito raros, sobretudo, para as famílias pobres. Para este jogo, tem que se fazer também no chão um circulo com giz, enrolar o cordel a volta do pião, de seguida atirá-lo para dentro do circulo e o mesmo tem que girar à sua volta não saindo da linha. As outras crianças lançam também o deles e com isso tentam atirar o maior número de piãos para fora da linha do circulo para ganharem. Nessa altura era uma competição saudável que não existe hoje.

Brincadeiras de antigamente

Os berlindes
Neste jogo, precisa-se pelo menos entre 2 a 3 jogadores e no início do jogo tem que se fazer pelo menos três buracos com alguma distância para de seguida colocarem lá os seus berlindes. Um dos jogadores atira com os dedos um outro berlinde tentando tirar os que estão dentro dos buracos acertando-lhes. Neste jogo, até dava direito a ficar com os berlindes conseguidos ao acertar. Isto porque cada berlinde tinha cores diferentes consoante o seu tamanho e nomes próprios e isso seria uma maneira de arrecadar os melhores berlindes do adversário para coleção ou até mesmo para jogar no próximo jogo, porque as crianças achavam que esses lhes davam sorte para ganharem.

brincadeiras de antigamente

Também vais gostar destes:
Nos dias de hoje passeiam-se mais os cães do que as crianças!
O teu gatinho nunca mais ficará morto de tédio com estes truques geniais.

Ó senhor banqueiro

É um jogo que se jogava muito durante o recreio da escola. Consistia em ter uma fila de crianças que iria passar por uma ponte feita por 2 elementos onde eles tinham que passar. Os colegas ou amigos que faziam a ponte tinham que escolher o nome de uma flor, uma cor, um animal. Quando cada criança passava por essa ponte tinha que escolher um desses nomes e colocava-se atrás da pessoa da ponte que tinha escolhido isso. No fim, eram contados quantos existiam de cada lado e ganhava o que tinha mais. Os dois últimos meninos a passar da ponte seriam de seguida o que fariam par para retomarem a ponte para os outros passarem. Mas, neste jogo existe uma especificidade que é uma ladainha que cada criança tinha que dizer para poder passar essa ponte.

A ladainha ou cantilena como quiseres chamar e a seguinte:

– Ó Senhor barqueiro deixe-me passar, pois tenho filhos pequeninos, não os posso sustentar.

-Passará, passará, mas algum ficará, se não for a mãe da frente é o filho lá de trás!

Brincadeiras de antigamenteSe tens filhos ensina-lhes estas brincadeiras para eles se sentirem atraídos e serão umas crianças menos isoladas e mais solidárias.

Partilha