As sondagens continuam a indicar uma quebra de popularidade do candidato republicano, em particular desde o último debate presidencial. Uma situação que Donald Trump, aparentemente, parece ter dificuldades em contrariar, olhando para as mais recentes declarações. Desta vez, a mensagem dirigiu-se aos doentes terminais.

“Não quero saber o quão doentes estão”, afirmou Trump. “Não me importa que tenham acabado de voltar do médico e que ele vos tenha dado o pior prognóstico possível. Mesmo que achem que só vão durar mais duas semanas. Não importa. Aguentem-se até ao dia oito de novembro, saiam e vão votar”.

O candidato afirmou, mais tarde, que fez as declarações em tom de brincadeira mas que “estava a falar a sério”.

O discurso já suscitou indignação entre os opositores ao candidato presidencial
Uma sondagem da Reuters/Ipsos revelou, quarta-feira, que a adversária Hillary Clinton se encontra seis pontos percentuais acima do republicano.

O próximo debate presidencial entre Clinton e Trump será no domingo.

Também vais gostar destes:
A verdade da política Europeia é esta: eles vivem de mordomias e luxos! Um verdadeiro choque!
Marisa Matias interpelou o comissário finlandês que se referiu à suspensão dos fundos como “um incentivo” a Portugal e Espanha.

O candidato republicado às presidenciais norte-americanas voltou a fazer declarações polémicas. Desta vez, Donald Trump apelou aos doentes terminais que aguentem até ao dia das eleições para votar. Palavras proferidas durante um comício em Henderson, Nevada.