Pesquisas em ratos mostraram que a cannabis pode ser promissora na redução do crescimento de gliomas e cancro cerebral.
Glaucoma, dor, náuseas, perda de apetite, epilepsia e esclerose múltipla: a lista de doenças para as quais a cannabis medicinal tem sido apontada como promissora no tratamento pode aumentar em pouco tempo, segundo novos estudos, apesar de que ainda hoje não haja um ensaio clínico forte nos Estados Unidos.  As informações são do IFL Science.

Também vais gostar destes:
Governo dos EUA divulgou oficialmente que cannabis pode ser uma aliada na luta contra o cancro!
Empresa italiana cria gelados de cannabis em homenagem a Bob Marley!

Os estudos realizados em culturas celulares e em animais mostram que os benefícios terapêuticos da cannabis podem ser realmente prósperos para um tipo de cancro cerebral chamado “glioma”.

Os pesquisadores descobriram que o THC, o principal ingrediente psicoactivo da erva, e o canabidiol, um extracto da cannabis, foram responsáveis por “reduções drásticas” no crescimento de gliomas em ratos.
Por isso, uma plataforma de crowfunding chamado Walacea tem juntado recursos para a pesquisa em imagens de cérebros humanos, uma campanha que pode ser um sucesso. “Doações para a pesquisa da cannabis medicinal é essencial para o entendimento do potencial dos canabinóides para tratar uma variedade de condições”, afirmou o horticultor e advogado para o seu uso medicinal, Jorge Cervantes.
O glioma é um tipo de tumor originário no cérebro ou na medula espinhal que surge a partir de células da glia.
Este tipo de cancro cerebral é comum e representa cerca de um terço dos casos.