A policia deteve 12 pessoas por estas darem comida a sem-abrigo. Pelo menos 12 pessoas foram detidas após oferecerem comida a pessoas sem-abrigo.

Membros de um grupo militante de seu nome Break the Ban foram acusados de um crime, à excepção de um jovem de 14, a quem foram retiradas as acusações.

Se eu tiver de ser preso por algo, como neste caso dar comida a sem-abrigos, não sinto que deva pedir desculpa, pois não acho que esteja a fazer nada de mal, afirmou Matthew Schneck.

O conselho municipal de El Cajon aprovou por unanimidade um decreto de emergência que proíbe a distribuição de comida em qualquer área pública na cidade de modo a prevenir a propagação hepatite A. Assim, que der alimentos a um sem-abrigo incorre numa pena de prisão de 6 meses e uma multa de 1000$.

Os ativistas encaram esta lei como uma afronta aos sem-abrigo: “Significa que estão a tornar os sem-abrigo criminosos. Criaram 4 leis contra os sem-abrigo. Não podem acampar, não podem dormir nos carros, não podem pedir esmola e não lhes podem dar comida, disse Mark Lane a RT.

Eles dizem que todos os parques estão totalmente infectados com hepatite A, e que não querem que os sem-abrigo a apanhem, por isso tentam protegê-los. Porém, as pessoas continuam a fazer festas no parque e a partilhar a sua comida uns com os outros, apesar destas pessoas não serem imunes à mesma hepatite A que poderia infectar os sem-abrigo”, refere ShaneParmely, membro do Break the Ban e organizador do evento, à RT.

Os sem-abrigo que estiveram lá [no evento] ficaram muito gratos por estarmos a resistir [à proibição]. Eles ficaram muito insatisfeitos com o presidente e os membros do conselho por terem assinado um decreto tão cruel, sem terem falado com os sem-abrigo”.

Também vais gostar destes:
Na Amadora, um atrasado mental empurrou um sem-abrigo para o caixote de lixo.
Homem adquire um avião apenas para resgatar animais feridos e sem-abrigo.

Temos uma alta percentagem de sem-abrigos que são veteranos; temos uma alta percentagem de pessoas sem-abrigo a trabalhar. Há uma crescente criminalização das pessoas pobres e impotentes”, rematou ShaneParmely.

FONTEAyoye

Partilha