Cristina Ferreira comentou a proibição da TVI no que toca ao seu programa. A vedeta da SIC revela que em 2020 pretende convidar pessoas anónimas, até porque “já há poucas pessoas disponíveis para entrevistar. Temos de ter noção que as celebridades do nosso país pequenino são poucas e acabamos por repeti-las. E como não posso ter pessoas da TVI…”, disse.

“Por mim, ia lá toda a gente. Já tive todos os grandes intervenientes da RTP no meu sofá, mas percebo que para a TVI não seja fácil, porque sou concorrência direta. Eles fazem o mesmo que a SIC, que também não me deixa lá ir. Aqui são as leis que ditam. Mas isso não me impede de ser amiga da Rita Pereira, do Pedro Teixeira e do Manuel Luís Goucha” referiu.

A intenção de Cristina Ferreira é ir para a rua “O objetivo do próximo ano é sair mais do estúdio. Em 2019, tivemos uma série de projetos associados que não me permitiam sair, além de que o tempo não deixava. Era pouco. Para o conseguir, tinha de gastar todos os meus fins de semanas a fazer reportagens, que, na realidade, são quase pequenos documentários. E isso não dava”,

“Vamos investir cada vez mais nisso. Agora tenho um vizinho que me torna a vida mais fácil e que me vai permitir sair de casa quando quiser. E confesso que é disso que tenho saudades. Foi uma marca muito presente que não consegui manter, mas na qual vou voltar a apostar.”

Partilha