Há uma forma inovadora de radioterapia, chamada tomoterapia, que é mais precisa na destruição dos tumores de cancro e provoca menos efeitos secundários. Está disponível no SNS, no IPO de Coimbra. O equipamento que ajuda a tratar com maior precisão tumores em doentes oncológicos. A técnica pode significar tratamentos mais eficazes e mais tempo de vida para os doentes.
Este tipo de recolha de imagens retrata o organismo “às fatias”, ou seja, por secções. Partindo desta ideia, a tomoterapia emite um feixe de radiação direcionado a uma determinada “fatia” — fração da imagem — que corresponde ao local do tumor canceroso e a irradiação dos tecidos saudáveis é mínima.
Outra das vantagens para os pacientes é o facto de a tomoterapia poder ser adaptada ao movimento do tumor, uma vez que a radiação é administrada de forma helicoidal (em forma de hélice).
Neste momento, a técnica está a ser aplicada sobretudo a doentes com cancros no pescoço e cabeça — como o cancro da tiroide, da faringe ou no cérebro — zonas que devido à elevada densidade de órgãos exigem radioterapia de maior precisão.

A equipa médica tem de ver as imagens do equipamento todos os dias, o que permite introduzir alterações no plano de tratamento definido inicialmente, sempre em benefício do doente.
“Esta capacidade de fazermos uma radioterapia adaptativa (através da tomoterapia) é um fator inovador. Porque o ideal, num tratamento de radioterapia, é sempre tratar com o plano do dia. Ou seja, todos os dias introduzimos uma mudança porque o doente e o tumor também se alteram. Ainda não conseguimos isso para todos os doentes, mas caminhamos nesse sentido”, esclareceu Maria do Carmo Lopes, do Serviço de Física Médica do IPO de Coimbra

Também vais gostar destes:
Cancro tem os dias contados!
Pesquisadores descobrem medicamento natural que reduz cancro em 90%!

A aquisição deste equipamento — o único que existe neste momento em Portugal — é justificada pelo facto de “permitir tratar cancros de forma mais eficiente” e, na prática, “permite salvar mais vidas no sentido em que torna possível prolongar a vida, ou seja, a sobrevida das pessoas com alguns tipos de cancro é aumentada“, explicou.
O novo sistema Tomotherapy HD possibilita o tratamento de cancros “que, sem este equipamento, não seria possível”. Apesar de estar nas instalações do IPO de Coimbra, qualquer paciente oncológico do SNS pode ser tratado com este equipamento. Para isso, basta que esteja indicado pelos especialistas de radioterapia para receber tratamento através da tomoterapia e será encaminhado.