Nunca se deve avaliar um livro pela capa. É um belo ditado popular se encaixa neste vídeo que aqui hoje trazemos. Eles conversavam no escuro e quando as luzes acendem o incrível acontece!
Como é possível que na era do conhecimento da tecnologia da liberdade possa existir algum tipo de preconceito? O ser humano anda a procurar de forma incansável, até às profundezas do espaço,  formas de vida mais inteligentes, mais evoluídas e talvez menos preconceituosas. Que imagem passará a humanidade caso um dia venha a existir esse encontro? Será que esses ET´s supostamente mais inteligentes que nós vão conseguir entender o racismo?
A escravidão, o desprezo por gente de cor de pele diferente da nossa que acreditam em um Deus completamente diferente do nosso? No século XXI ainda é preciso alertar que o ser humano é todo igual!
Muitos estudos já demonstraram que são precisos apenas 7 segundos para criarmos uma impressão em relação a uma pessoa, seja ela boa ou má. Mas, será que chegam 7 segundos para avaliar uma pessoa? A COCA-COLA, mundialmente famosa marca de refrigerantes, decidiu convidar 6 homens, completamente diferentes uns dos outros, a se juntarem num pequeno-almoço, no mínimo diferente.

Este pequeno-almoço realizou-se às escuras para que não fosse possível a nenhum ver os restantes companheiros de refeição. Quem poderia imaginar gente de classes sociais distintas profissões diferentes?
Durante a refeição, estes 6 homens foram se conhecendo e cada um falou um pouco de si, desde a actividade profissional até aos passatempos preferidos.
Podemos afirmar que o preconceito, o racismo e as crenças religiosas, enquanto estão no escuro não existem de todo.

Também vais gostar destes:
Racismo NÃO! Um video de excelência!
Coisas que deverias saber sobre a ‘cura gay’, mas a preguiça não deixa!

No fim do pequeno-almoço receberam uma caixa com uma simples mensagem, mas que revela muito do que o ser humano ainda tem de aprender.
Vê o vídeo publicado no Youtube e descobre por ti mesmo e aprecia a mensagem que a Coca-Cola quis deixar, não só a estes 6 homens mas a todo o mundo

Partilha