Fazer bolos ou biscoitos é muito mais do que apenas criar algo doce para comer. Especialmente quando é feito para outras pessoas, é um ato que traz toda uma série de benefícios psicológicos.

Cozer bolos e biscoitos é uma forma produtiva de auto-expressão e comunicação e quando o fazemos para outras pessoas, isso pode também ser uma maneira de transmitir os nossos sentimentos a elas. Susan Whitbourne, professora de ciências psicológicas e cerebrais na University of Massachusetts disse ao HuffPost: “As pessoas que têm dificuldade para exprimir os seus sentimentos em palavras podem demonstrar gratidão, apreciação ou condolências, oferecendo às outras um bolo ou uma travessa de biscoitos”.

Julie Ohana é assistente social médica e terapeuta que trabalha com artes culinárias. Ela disse ao HuffPost:

Em muitas sociedades, em muitos países, a comida realmente representa uma expressão de amor. Isso é belo, porque é algo que todos podemos entender. Acho que pode chegar a ser pouco sadio se a comida tomar o lugar da comunicação no sentido tradicional, mas, se ela é oferecida lado a lado com palavras, é uma coisa positiva e maravilhosa.

Cozer bolos ou pães para ti mesmo ou para outras pessoas é uma forma de mindfulness.
Todos nós já ouvimos falar nos benefícios da meditação e do mindfulness – para citar apenas dois benefícios, elas aumentam a felicidade e reduzem o stress. Cozer bolos e biscoitos pode proporcionar alguns dos mesmos benefícios a quem o faz.

Cozer pães, bolos ou bolachas requer pensar passo a passo e seguir as etapas específicas do aqui e agora, mas também exige que se pense nas receitas como um todo, no que vais fazer com elas, em quem vai consumir aquele prato. Por isso, preparar bolos é uma maneira muito boa de desenvolver aquela consciência equilibrada do momento e do contexto mais amplo”, diz Ohana.

Pincus disse que quando estás com a consciência voltada ao aqui e agora, como é o caso quando faz bolos, por exemplo, “não estás a remoer pensamentos na cabeça, algo que sabidamente conduz à depressão e aos pensamentos tristes –estás a fazer logo produtivo. E o que é bom de cozer bolos e bolachas é que ao final do processo tens um resultado positivo muito concreto, algo que, além disso, pode ser muito benéfico para outras pessoas.”

O que está ao cerne de preparar bolos ou biscoitos para outra pessoa é o próprio ato de doar. O processo de preparação pode contribuir para um senso geral de bem-estar, e doar o que se criou intensifica essa sensação.

Se cozer bolos é uma atividade que te deixa stressado, não terás as mesmos resultados psicológicos positivos. “Se uma pessoa tem fobia de cozinhar ou cozer, então não deve praticar essa atividade. Cozer bolos ou biscoitos é bom para pessoas que já tenham um nível básico de familiaridade com a cozinha”, diz Ohana. Pincus concorda: “Desde que não seja stressante nem uma obrigação, essa atividade pode ser benéfica para todos.

Também vais gostar destes:
Se adoças a comida com mel, cuidado pois podes estar a consumir um produto letal.
Sem-abrigo oferece a pouca comida que tem ao seu animal de estimação!

Acho que oferecer comida a outra pessoa é reconfortante tanto para a pessoa que recebe a comida quanto para aquela que a serve e oferece.

FONTEHuffpost

Partilha