Pois é, cá temos uma vez mais Portugal no seu melhor!
O Centro Paroquial de S. Martinho das Moitas, em S. Pedro do Sul, terá de pagar uma multa de 2.500 euros por ter prestado apoio social a mais aos carenciados,  indo assim contra o acordo estabelecido com a Segurança Social.
Segundo apurou a rádio VFM, de Viseu, a contra-ordenação resultou de uma inspecção realizada à IPSS após uma denúncia.
A Segurança Social aplicou uma multa de 6.300 euros por “apoio domiciliário a mais seis pessoas do que estava autorizado” e por “não constarem nos contratos com os utentes os seus direitos”.
O Centro Paroquial recorreu ao Tribunal de Trabalho de Viseu, que reduziu a coima para 2.500 euros.


O sacerdote Ricardo Correia não sabia que a IPSS “não podia ajudar mais pessoas do que o que estava acordado com Estado”, e que “apenas se limitou a apoiar cidadãos pobres e que vivem isolados…O acordo que tínhamos era para apoiar 30 utentes, e julgávamos nós que podíamos ajudar mais 6, porque a Segurança Social não nos paga mais por isso“, explica o sacerdote, “estes 6 utentes era a nossa instituição que suportava os gastos…Estamos a falar de pessoas que não têm ninguém, que não sabem ler, não sabem escrever. Nós somos as únicas pessoas com que eles contactam diariamente”, diz.
“Sentimo-nos mal por vermos que somos multados por alimentarmos os nossos pobres“, conclui lamenta o padre Ricardo Correia.
Estamos cada dia melhor Portugal. Ai estamos, estamos!

FONTEZAP aeiou

Partilha