A ciência acaba de confirmar a sabedoria popular: irmãos mais velhos são mais conservadores e carrancudos quando comparados com os mais novos.
Pesquisadores da Universidade Católica de Milão entrevistaram pais e filhos de 96 famílias italianas. Os resultados foram ponderados para diminuir influências de género, idade, religiosidade e nível educacional dos pais.
A conclusão?

Em geral, os primogénitos são mais contrários a mudanças e apegados às noções de ordem e tradição. Os cientistas não encontraram, porém, ligações entre o conservadorismo dos pais e o dos filhos.
Os primogénitos são mais conservadores que os segundos filhos independentemente dos valores conservadores dos pais“, disse a pesquisadora Daniela Barni ao site LiveScience.

Os pesquisadores atribuem o conservadorismo e maus feitio do filho mais velho à disputa de poder com os filhos mais novos.

Primogénitos, tendo experimentado a atenção exclusiva dos pais, sendo mais fortes e intelectualmente desenvolvidos que os seus irmãos mais novos, ocupam uma posição dominante“, disse Daniela. “Então, eles tendem a preservar as suas vantagens desenvolvendo valores conservadores para manter o status quo“.