Karina Chikitova, de apenas 3 anos de idade, vive com a mãe na Sibéria, uma região na Rússia. Pouco antes de completar 4 anos, ela decide visitar o pai. Mas, vagueou sozinha 11 dias. Karina conhece o caminho, percorrido muitas vezes com ambos os pais, e parte sem que a mãe veja. A sua única companhia, o cachorrinho da família. Ao chegar, porém, a dupla não encontra o pai em casa. Karina, então, inocentemente sai para procurá-lo e, em pouco tempo, está completamente perdida. A situação é ainda mais perigosa porque, apesar de cada vez mais raros, lobos ainda são frequentemente vistos na região. Ao seu lado, o cachorro a segue. Ninguém jamais poderia imaginar que ele faria a diferença entre a vida e a morte para a sua pequena dona.
Ao perceberem o sumiço da filha, os pais de Karina  desesperam. A mãe sente-se terrivelmente culpada por ter perdido a filha de vista. Apesar de ser o mês de Julho, as noites ainda são geladas, com temperaturas às vezes próximas de 0°C. As equipes de busca não encontram nada. Uma semana se passa, depois 10 dias e as esperanças de encontrar Karina com vida são cada vez menores. Após 11 dias sem notícias da filha, a mãe tenta conformar -secom a ideia de que jamais vai ter a filha nos braços novamente. Até que, de repente, o cachorro aparece na porta da sua casa.


De início, todos acham que a volta do cão só poderia significar o pior. Karina provavelmente morreu, perdida e sozinha, e então o cachorro deixou o seu corpo e encontrou o caminho de volta. Mas o cão persiste em correr de volta para a floresta, latindo. Os membros da equipa de resgate decidem seguí-lo. No final, eles não acreditam no que encontram: após uma longa caminhada, lá está Karina sentada no chão, muito assustada. Ela está desidratada, esfomeada e a congelar. Mas ela está viva! Ela comia o que encontrava pelo chão, e durante as noites seu cachorro mantinha os outros animais afastados latindo cada vez que se aproximavam dela. Para se manterem aquecidos, dormiam abraçados. E foi assim que, vestindo apenas uma camiseta e contando apenas com a ajuda do seu cão fiel, esta menina conseguiu sobreviver à condições que teriam derrotado qualquer adulto.
Que dupla corajosa! Vê as fotos: