Quando o nosso animal de estimação morre, sentimo-nos tão vazios como se tivéssemos perdido um filho, um irmão ou um dos nossos pais. Experimentamos uma dor imensa que não se pode comparar a nada e que é difícil de explicar.

A dor pela morte de nosso animal de estimação

Aqueles que amam os animais sabem que não existe uma dor maior do que a de perdê-los. Os cães e os gatos passam muitos anos ao nosso lado para que a morte deles nos seja indolor. Só o acto de pensarmos que algum dia eles morrerão, nos dá um nó na garganta. Entretanto, temos que levar em conta que cedo ou tarde isso acontecerá e que é preciso que estejamos preparados.

A conexão que experimentamos com os animais de estimação é tão grande que não podemos imaginar a vida sem eles. Nada será como antes, porque o seu amor e a sua lealdade eram como um bálsamo entre os nossos problemas.

Infelizmente, o ciclo de vida destes animais de companhia é muito menor do que o nosso. Portanto, é natural que sejamos nós que venhamos a sofrer pela morte de nosso animal de estimação. De acordo com psicólogos, isso gera um grande impacto emocional nas pessoas, tal e como acontece quando um membro de nossa família morre. Por quê? Porque o cão ou o gato também formam parte desse núcleo íntimo.

Além disso, como indica um estudo da Universidade do Havaí, a dor provocada pela morte do animal de estimação não só é intensa e profunda, mas também dura bastante tempo. Uma em cada três pessoas consultadas disseram que sofreram pelo menos seis meses depois da perda.

A morte de um animal de estimação, o final de uma relação mais que especial

Os animais de companhia nos oferecem seu amor, seu apoio e sua lealdade (em muitos casos, mais do que recebemos de outras pessoas). Devido a isso, quando eles morrem, perdem-se ou são roubados, experimentamos o que os cientistas chamam de “fim de uma relação especial”.

A dor pela perda do animal de estimação não costuma ser compreendida por aqueles que não têm um cão ou um gato. Eles acham estranho que alguém chore desconsoladamente por um animal, se o que morre é um cão ou um felino, desprezam os sentimentos.

Como cada vez mais casais e famílias adotam um animal de estimação e o transformam em um membro a mais da casa, é habitual que se organizem funerais e enterros como se se tratasse de uma pessoa. Inclusive há cemitérios especiais para animais de companhia.

Como superar a morte de um animal de estimação

Não importa se os teus amigos ou familiares não entendem ou dizem que és exagerado por se sentir triste pela morte de um animal de estimação. Se o teu cão ou gato morreu, deves expressar a tua tristeza e confrontar a perda. Tira o tempo que necessitar para atravessar este horrível momento.

Embora não tenha que derramar milhares de lágrimas, não as reprima. Alivie toda sua dor através do choro.

Não se deve assumir a culpa pelo ocorrido, já que essa não é a melhor maneira de encontrar alívio. Simplesmente seu animal de estimação morreu e isso não é sua responsabilidade. É melhor que você esteja tranquilo consigo mesmo e que se perdoe.

Seja paciente, já que, durante as primeiras semanas, te sentirás realmente triste. Se não tiveres vontade de falar do assunto, não fales, se preferires passar o fim de semana dentro de casa, faça isso. Mas leve em conta que, em algum momento, deverás retomar a tua vida habitual.

Também vais gostar destes:
As fotos desses de 18 animais a dormir que farão o teu dia ficar bem melhor.
Gosto de pessoas que consideram os animais de estimação parte da sua família.

Por último, lembra-te do teu cão ou gato a fazer travessuras e feliz ao teu lado. Tenta não guardar nenhum elemento que ele utilizava, porque isso causará mais dor. Certamente há muitos animais sem lar que necessitam de comida, camas e brinquedos. E espera um tempo prudencial para levar outro animal de estimação para casa. Uma vez que saibas que não será uma substituição, estarás preparado para dar a oportunidade para essa nova vida entrar no teu lar.

 

FONTEO Segredo


 
Partilha