Já diriam nossas mães e avós: “cara feia, pra mim, é fome!”. Parece que, mais uma vez, elas têm razão. É que para produzir a energia necessária e funcionar bem, o teu organismo utiliza a reserva de glicose já armazenada no fígado e nos músculos, antes de recorrer à gordura do corpo. Se não te alimentas, o teu fígado passa a trabalhar mais por sentir falta de glicose, o que faz te sentires fraco, com raciocínio lento e, consequentemente, mau humor.

Para manter a nossa energia em alta e o nível de açúcar no sangue estável – dois fatores que não só afetam a tua saúde física, como também seu humor – precisas comer calorias suficientes no teu dia. Para as mulheres saudáveis, esse número não deve ser inferior a 1,2 mil calorias por dia, caso contrário não apenas terá alterações de humor como também desenvolver outros problemas de saúde.

Também vais gostar destes:
Se alimentarmos as crianças com amor, os medos morrerão de fome.
Nunca aqueças comida no micro-ondas. Percebe o motivo.

Raciocínio lento, fraqueza e mau humor
O que os cientistas resolveram comprovar é como manter esse auto-controle do humor requer energia, parte da qual é fornecida pela glicose. Durante 21 dias, eles mediram os níveis de glicose no sangue de 107 casais casados. Para dosar a sua agressividade, os participantes competiram contra o seu cônjuge numa tarefa de 25 julgamentos em que o vencedor expunha o perdedor a um ruído superalto através de fones de ouvido.

Há evidências não só para a relação entre o mau humor e a fome como também para o facto de que as pessoas costumam se comportar melhor depois de um lanche. Na experiência realizada com os casais, após disputarem o desafio, os pesquisadores chegaram à seguinte conclusão: quanto menor o nível de glicose no sangue, maior a intensidade e duração do ruído estabelecido para o cônjuge. Ou seja, quanto mais fome sentes, mais cruel podes ser até com quem ama.