Um micro-ondas é uma forma de radiação não ionizante.
Cozinhar utilizando o aparelho de micro-ondas é uma opção simples e conveniente para as pessoas com rotina acelerada.
O forno de micro-ondas tem sido um pilar da sociedade por 30 anos, praticamente transformando a forma de vermos a comida. Mas, apesar das suas maravilhas, a questão que tem sido evitada permanece: os fornos micro-ondas seriam a opção mais saudável de cozinhar? A resposta é, obviamente, não! Existem opções disponíveis muito melhores que garantem que os nutrientes permaneçam em sua comida.
Por uma questão de contraste, a radiação ionizante altera a natureza eletromagnética de átomos, ou ioniza-os. Isso altera a forma como eles interagem com outros átomos e moléculas ao seu redor. Raios X, radiação gama e de medicina nuclear (utilizada em tomografias computadorizadas e mamografias) são tipos de radiação ionizante. O teu alimento está a ser eletrocutado por ondas de alta frequência, e alguns argumentam que essa radiação pode ser prejudicial para a saúde.
Um estudo realizado pelo Dr. Hans Hertel descobriu que os indivíduos que consumiram os alimentos preparados em micro-ondas experimentaram uma diminuição nos níveis de colesterol HDL, reduzindo o número de glóbulos vermelhos e de células brancas no sangue. Infelizmente, não há estudos realizados desde então para replicar as descobertas. Por isso seria difícil chegar à conclusão de que, de facto, micro-ondas fazem mal à saúde. Ainda assim, existem outras opções de cozinha que podem ser muito melhores para manter a qualidade nutritiva dos alimentos.

Micro-ondas cozinham a comida em temperaturas muito altas em um período muito curto de tempo. Isso resulta numa grande perda de nutrientes para a maioria dos alimentos, em particular vegetais. Os nossos alimentos também são vítimas de perda de nutrientes quando são fervidos, fritos ou assados. Vegetais de ebulição, por exemplo, absorvem a maioria dos nutrientes (incluindo antioxidantes) na água.
A melhor opção para os legumes é cozer, resultando numa menor perda de nutrientes. Refogar a temperaturas baixas também é uma opção viável, que retém mais nutrientes do que preparados ao micro-ondas, por ebulição ou fritos. É importante que a maioria da dieta seja crua, com alguma gordura adicionada para ajudar a absorver as vitaminas lipossolúveis (A, D, E K), garantindo um elevado nível de ingestão de nutrientes.

Também vais gostar destes:
Aprende a fazer batata frita no micro-ondas sem óleo!
A verdade sobre o micro-ondas e que tu precisas saber!

Em vez de utilizar os micro-ondas, tenta manter os alimentos crus como aspecto principal da tua dieta e prefere formas mais tradicionais de preparação. Pode não ser mais prático, mas pode ser muito mais saudável!

FONTEJornal Ciência

Partilha