Compras óleo de canola? Achas que ele é faz bem à saúde?
Psquisas provam as desvantagens do consumo do óleo de canola.
Entre essas pesquisas, um artigo destaca: “Por último, estudos empreendidos nas Divisões de Pesquisa de Saúde e Toxicologia de Ottawa, Canadá, descobriram que ratos criados para terem pressão do sangue elevada e propensos a acidente vascular cerebral têm uma expectativa de vida menor quando são alimentados com o óleo de canola sendo a única fonte de lipídios. Os resultados de um estudo posterior sugeriram que o culpado seria um composto esteroide do óleo, que tornaria a membrana celular mais rígida e contribuindo para o encurtamento da vida dos animais“.
Mas há os defensores do óleo de canola.
Dizem que ele é saudável e que todos os malefícios associados ao óleo são mentirosos.
Quem está com a razão?
Nos Estados Unidos, é possível se encontrar óleo de canola orgânico, ou seja, que não é transgénico e até no Canada, origem da planta, não existe mais canola que não seja transgénica.

Por que o óleo de canola é comercializado?
Uma pista: o governo do Canadá “investiu” a fortuna de 50 milhões de dólares para que agência americana de alimentos e medicamentos, o FDA, libertasse esse óleo nos Estados Unidos.
Outra questão: a tecnologia realmente conseguiu reduzir a toxidade da planta da qual se extrai o óleo de canola.
Mas “reduzir” não é “acabar”.
E 2% de toxidade (que é o que ficou de toxidade) ainda é muito para quem procura uma alimentação saudável.
E essa toxidade, mesmo pequena, é cumulativa.
Simplificando: “um pouco tóxico” consumido por vários anos vira “um monte tóxico” que pode causar várias doenças, incluindo o cancro
E tem mais: todos os óleos de cozinha, inclusive o de canola (com exceção dos “prensados a frio” ou “extra-virgem”), são refinados.

Também vais gostar destes:
Homem cria gasolina sem petróleo e acaba detido!
Ela ingeriu duas colheres de óleo de coco. Vê o que aconteceu com o seu cérebro!

Sabes o que isso significa?
Que óleos como o de soja e o de canola passam por um processo em que há branqueamento e desodorização.
Isso também envolve altas temperaturas e/ou o uso de alguns produtos químicos como solventes.
Mesmo ignorando os produtos químicos usados no “refinamento”, não podemos nos livrar do facto de que o processo torna o óleo um produto hidrogenado extremamente prejudicial para a saúde cardiovascular.
Conclusão: leva para tua casa gorduras verdadeiramente saudáveis, como o óleo de coco e o azeite de oliva prensados a frio (extra-virgens) e a banha de porco.