Os cães nunca morrem, dormem junto do nosso coração”, essa é a síntese perfeita do sentimento que aborda a perda de um animal de estimação feita por um usuário da rede social Reddit.

Quando um amigo peludo se vai
Para aqueles que consideram o cachorro como um membro da família, a morte de um cão é vivida como uma experiência traumática e dolorosa.

Somente aqueles que nunca partilharam parte da sua vida com animais de estimação ou não tiveram animais são indiferentes ou incrédulos da dor que causa em muitas pessoas que perdem esses seres tão queridos.

Embora seja verdade que a vida continue, deves aprender a continuar sem a companhia do teu fiel amigo peludo, chora tudo o que o coração pedir.

Os cães nunca morrem, habitam as nossas memórias

Não vai ser fácil chegar em casa depois de um dia duro sem um animal de estimação que te fazia esquecer todas as preocupações e tensões diárias, pelo menos por um tempo.

Para muitas pessoas que vivem sozinhas ou são idosos, o cão normalmente é quase a única companhia diária. E o que dizer das crianças. Perder um companheiro incondicional não é uma tarefa fácil de lidar.

Mas é preciso aprender a lidar com a perda dos nossos entes queridos e saber  enfrentar a situação e, gradualmente, a dor da perda vai-se tornar uma lembrança dos momentos felizes partilhados com o teu cão amado.

Como lidar com a perda de um animal de estimação
Cada pessoa irá processar a dor de forma diferente, mas vamos partilhar algumas sugestões para lidar melhor com esse transe angustiante e doloroso:

Chora e expressa o sofrimento, independentemente do que os outros possam dizer sobre isso. Não é bom suprimir o que se sente. É bom colocar todos os sentimentos para fora, para que não apodreçamos por dentro.
Conter e explicar para as crianças da família o que eles precisam saber para entender essa situação triste.
Evita a culpa. Certamente sempre fizeste o possível para dar ao animal uma vida boa e com todos os cuidados necessários.
Não fiques obcecado com a morte do animal de estimação. Trata de forma gradual, deixando os pensamentos tristes e substituindo-os por boas lembranças.
Nenhuma tentativa pode substituir imediatamente o falecido com outro animal. Cada cão é único.

A carta de Ernest Montague
Para lembrar Bolo, Montague diz na sua carta porque os cães nunca morrem. Simplesmente porque “não sabem como fazê-lo.  Cansam-se, envelhecem, e seus ossos doem”. Então, adormecem no coração dos seus donos.

E a cada momento que acordam, sacudem as suas caudas felizes. Por isso dói tanto o nosso peito e nos faz querer chorar.

Montague termina: “Mas não te deixes enganar. Eles não estão mortos. Isso não existe. Eles dormem no teu coração e acordam quando menos espersa. Assim são os cães. Sinto para aqueles que não tem cachorros a dormir no coração. Vocês perderam muito. Desculpe«a, eu tenho que chorar.

Também vais gostar destes:
Cruzamento entre humanos e animais gera revolta e levanta polémica em fotos assustadoras!
Por cada garrafa reciclada esta máquina alimenta animais abandonados.

A vida continua e é sempre bom dar amor
O tempo dirá quando é o momento certo para que outro cão entre nas nossas vidas. Mas só porque nós escolhemos amá-lo e partilhar os nossos dias com ele.

Se quisermos preencher a lacuna deixada pela perda, nos perderemos. Vamos nos ferir e causar danos no nosso animal.

Adotar um animal de estimação novo é uma experiência feliz e positiva apenas se ele nos ajudar a lembrar do nosso cãozinho anterior com um sorriso no rosto. Assim verás a vida com maior otimismo possível caminhará com uma bora recordação do animal de estimação que vive e dorme no teu coração.