O Presidente do IPO foi preso por corrupção. Foram realizadas buscas e o presidente do IPO, o autarca de Barcelos, o autarca de Santo Tirso e a mulher deste foram detidos por suspeitas de crimes de corrupção, tráfico de influências e participação económica em negócio no âmbito de contratação pública.

A Polícia Judiciária (PJ) revela que “a prática reiterada de viciação de procedimentos de contratação pública, com vista a favorecer pessoas singulares e coletivas, proporcionando vantagens patrimoniais.

A investigação, centrada nas autarquias de Santo Tirso, Barcelos e Instituto Português de Oncologia do Porto, apurou a existência de um esquema generalizado, mediante a atuação concertada de autarcas e organismos públicos, de viciação fraudulenta de procedimentos concursais e de ajuste direto com o objetivo de favorecer primacialmente grupos de empresas, contratação de recursos humanos e utilização de meios públicos com vista à satisfação de interesses de natureza particular”, revela a Polícia Judiciária.


O médico José Maria Laranja Pontes é presidente do IPO do Porto desde 2006, mas já trabalha na instituição há 30 anos. A mulher, Manuela Couto, é empresária e administradora da W Global Communication. Já tinha sido constituída arguida em outubro, no âmbito da Operação Éter, uma outra investigação relacionada com o Turismo do Norte.

Por último, Miguel Costa Gomes, empresário na área da Indústria e Serviços, é também autarca do PS, estando já no terceiro mandato à frente da Câmara de Barcelos.

FONTETSF

Partilha