A reacção fantástica de Fernando Mendes quando Cristina Ferreira afirmou que o quer derrubar fez com que muitos o aplaudissem.

Fernando Mendes é líder há 13 anos com os eu programa “O Preço Certo” na RTP1 e a TVI tenta a todo o custo derrubá-lo.

Foi assim que apostou na dupla Cristina Ferreira e Pedro Teixeira para atingir o seu objectivo e a apresentadora não esconde a vontade que possui para alcançar esse objectivo, afirmando: “Quero ganhar. Ponto”.

Mas salvaguardando-se para o caso de tal não vir a acontecer, continua: “Se ganharmos é espectacular, se não ganharmos é espectacular na mesma porque temos a noção que fazemos um grande programa de televisão.”

Em relação ao facto de ser a primeira mulher a apresentar um concurso deste género, ela não pensou duas vezes “Não sou muito de dizer que não áquilo que a estação acha que é perfeito para mim. Eles estiveram a analisar e tentaram perceber se era ou não o formato indicado para mim. Fui espreitar o formato porque não conhecia e foi imediato. Não tinha como dizer que não.”

Já Fernando Mendes mostra-se tranquilo com as ambições da apresnetadora. “Fui contratado para apresentar o ‘Preço Certo’ durante três meses e já cá estou há 13 anos, só posso estar feliz”, afirma dias antes de celebrar o programa 3000.

“Primeiro fico feliz que tentem colocar um programa a esta hora para tentar derrubar o ‘Preço Certo’. Gosto muito da Cristina e desejo-lhe muita sorte, aliás, é isso que lhe vou dizer na mensagem que lhe vou mandar. Ela já tem uma vantagem: é mais gira!“, disse bem humorado.

Também vais gostar destes:
Homem vai ao programa de televisão Preço Certo e revela ser carteirista profissional.
Aquele momento em que percebes que os FAILS da televisão portuguesa somam e seguem.

O mesmo desvaloriza ainda a guerra de audiências. “Não me interessa. Claro que é bom e fico feliz por estar à frente há tantos anos mas o que realmente me importa é o carinho do público e aquilo que oiço das pessoas que gostam de mim. Isso é que tenho que respeitar e muito! Sinto uma certa responsabilidade social.”, frisou.

Partilha