Reclamar pode te trazer mais do que vontade de sair  a correr para bem longe da conversa mal-humorada. A Ciência explica que uma enxurrada de reclamações, além de encher os teus ouvido, atinge negativamente o teu cérebro e o funcionamento do teu corpo.

Pior: se és a pessoa que tem o hábito de criticar tudo e todos, o efeito também se aplica à tua saúde mental.

Por que reclamar atinge o teu cérebro negativamente

A cada pensamento que temos, o nosso cérebro é remodelado, alterando a construção física da realidade. Isto porque a ponte que se forma entre as células nervosas (os neurónios) acaba por se estreitar ainda mais para a produção daquele pensamento.

Isto quer dizer que, quanto mais reclamares mais reforçarás a forma “reclamão” do teu cérebro.

Aceitação x desgosto

Steven aponta outro fator que faz com que os resmungos, por vezes, destruam nosso cérebro: a dualidade entre a aceitação e o desgosto, o amor e o medo, o otimismo e o pessimismo. Em uma experiência pessoal, o autor resolveu seguir, frente a situações boas e ruins, o preceito de “agradecer pela experiência e pela lição”.

“A natureza aprecia caos, e o nosso cérebro não é diferente. E por isso é importante salientar que esta, obviamente, não é uma prática à prova de idiotas que irá erradicar completamente a negatividade da tua consciência; por vezes, a emoção é pesada demais e o par de sinapses que chama a carga química será o negativo”, relata.

Ouvir reclamação dos outros

Quando ouves muito blá-blá-blá negativo, o teu cérebro se relaciona com a outra pessoa em virtude dos “neurónios-espelho”.

Nesta experiência, a empatia com o outro faz com que tentemos sentir a emoção que ele está sentindo – e aí, você literalmente, “troca energias negativas” com seu interlocutor.

O que fazer para evitar negatividade

Patricia Marinho deu 8 dicas comportamentais para escapar. Se és uma pessoa assim, a especialista também orienta a melhor maneira de mudar a tua forma de ver as experiências na vida:

1- “Somos o resultado das cinco pessoas que mais nos relacionamos”

“Se estás do lado de pessoas que só reclamam, em breve podes te tornar assim também”, comenta Patricia.

2 –A palavra tem muito poder

“Se estás no meio de uma crise e diz que vai ser assim até o final do ano, será”, comenta a especialista. “Lea  otimismo para a conversa: ‘existe um crise, sim. Mas o que vamos fazer para mudar?”.

3- Fica ao lado de pessoas que são altruístas e otimistas

“Uma âncora é apenas 10% do peso do navio e, mesmo assim, o prende. Não deixes que ninguém seja uma âncora”.

4- Reclamar é um hábito e, por isso, pode ser mudado

“O nosso cérebro demora 21 dias para entender que criamos um hábito. Depois, vira rotina”. Por isso, evita manter atitudes negativas, como respostas ríspidas e mau-humor.

5- Tenta mudar o assunto sempre que quem reclama entrar em ação

“Dás um bom-dia, e a pessoa responde ‘bom dia por quê?’; pede para ela respirar fundo e diz que o facto de ela estar viva já é motivo para um bom dia”.

6- Se alguém reclamar ao teu lado, não faças coro à crítica

“Ela fala mal de alguém e tu falas bem. Um dia essa pessoa mudará o comportamento”, pondera a coach.

7- Muda de assunto sempre que te sentires arrastado pelas energias negativas do interlocutor

Se a pessoa reclama de alguma coisa, pergunta algo como “já viste como o céu está aberto hoje?”, para forçá-la a mudar de assunto.

8- Não tentes chamar atenção da pessoa

Frases do tipo “só reclamas” ou “falas tão mal” não funcionam, segundo a coach. “Quando alguém fizer uma crítica, fala uma coisa positiva”.

Também vais gostar destes:
Conhece os efeitos do café no cérebro, coração, estômago, rins e mais.
Vê o que o jejum faz ao teu cérebro e porque as indústrias farmacêuticas não vão estudar esse fenómeno.

Dica de ouro: a regra da água
A coach sugere um hábito às pessoas que têm o costume de reclamar sempre. “Anda com uma garrafinha de água e todas as vezes que pensar em falar mal de alguma coisa, bebe a água e segura o líquido na boca”, explica. “É uma dica que traz benefício à saúde do corpo e da mente”.

FONTEBem mais mulher