Uma agulha pode salvar uma pessoa que está a ter um acidente vascular cerebral (AVC), o popular derrame.
Isso é o que garante uma técnica herdada da milenar medicina chinesa.
A sangria periférica é um dos mais antigos procedimentos de um dos ramos da medicina chinesa – a acupuntura.
O agulhamento em pontos periféricos do corpo (como os dedos) é explicado como um método de se ajustar o fluxo de QI nos vasos.
Os estudiosos da medicina chinesa acreditam que algumas gotas de sangue saindo de um ou mais pontos periféricos têm efeitos significativos.
Esta técnica pertence a outra medicina, muito mais antiga e com mais de 5 mil anos.
Além do mais, não é para substituir o auxílio médico.
É para usar enquanto esse auxílio não chega.
E que mal fará um simples furo de agulha nos dedos?
Quando alguém sofre um acidente vascular cerebral, são necessários primeiros socorros de emergência.
Deve-se procurar um médico imediatamente.
Enquanto o auxílio não chega, estas dicas herdadadas da antiga medicina chinesa podem ajudar:

1. Segura a agulha no lume para esterilizá-la e usá-la para picar a ponta de todos os 10 dedos.
Não há necessidade de perfurar um ponto específico  (como na acupuntura); deve-se fazer apenas um furinho a poucos milímetros da unha.
2. Realiza os furos de modo que o sangue saia.
3. Se o sangue não começar a sair, aperta a área para que ele possa fluir.
4. Quando todos os 10 dedos começarem a sangrar, espera alguns minutos e vais ver que a vítima pouco a pouco melhorará.
5. Se a boca da vítima estiver deformada ou torcida, massageia as orelhas dela até que fiquem vermelhas, para que o sangue possa chegar a elas.

Também vais gostar destes:
Pílula anticoncepcional mais moderna quadruplica risco de AVC, diz estudo!
Duas receitas simples que te vão ajudar a prevenir para sempre do AVC/Derrame cerebral.

6. Em seguida, fure a parte mais macia das orelhas com a agulha, até cair duas gotas de sangue de cada uma.
Poucos minutos depois, a boca não estará mais deformada.
7. Mesmo a vítima voltando ao normal, leva-a para ser atendida e examinada.
Esta técnica, apesar de tão simplória, é muito séria, pois vem de uma medicina com mais de 5 mil anos de existência.
Mas, repetimos, é para ser usada em casos de suspeita de derrame apenas enquanto o atendimento médico não chega.