As pessoas estúpidas tendem a subestimar a tua competência, enquanto as pessoas inteligentes tendem a ser humildes. Como diria Shakespeare: “O tolo pensa que é sábio, mas o homem sábio conhece a si mesmo para ser um tolo.”

Se  não estás muito certo sobre a tua capacidade intlectual, realmente pode ser uma indicação de que és muito inteligente – és pensativo o suficiente para perceber as tuas limitações, pelo menos.

Aqui estão alguns sinais sutis que és consideravelmente mais inteligente do que pensas.

Ter lições de música
A pesquisa sugere que a música ajuda mentes infantis a desenvolverem-se.
• Um estudo de 2011 descobriu que a pontuação num teste de inteligência verbal entre crianças de 6 anos de 4 a aumentou depois de um mês de aulas de música.
• Um estudo de 2004 conduzido por Glenn Schellenberg sugere que crianças de 6 anos de idade que tiveram nove meses de aulas de teclado ou de voz tiveram um impulso de QI em comparação com as crianças que tiveram aulas de teatro.
Enquanto isso, um estudo de 2013, também liderado por Schellenberg, sugeriu que as crianças com bom desempenho foram os mais propensos a ter aulas de música. Em outras palavras, no mundo real, o treino musical pode só melhorar diferenças cognitivas que já existem.

Ser o mais velho
Irmãos mais velhos são normalmente mais inteligentes, mas não é por causa da genética, revelou um estudo.
The New York Times relata: “As novas descobertas, a partir de um estudo publicado [em junho de 2007], mostrou que as crianças mais velhas tinham uma ligeira vantagem, significativa no QI – uma média de três pontos sobre o irmão mais novo e descobriram que a. diferença não foi por causa de fatores biológicos, mas da interação psicológica entre pais e filhos“.
Por esta e outras razões, primogénitos tendem a ser mais bem-sucedidos do que os seus irmãos.

Ter um gato
Um estudo realizado a 600 estudantes universitários 2,014 concluiu que quem tem um gato tem uma maior capacidade cognitiva.

Ser amentado
Um pesquisa do ano 2007 sugere que os bebés que são amamentados pode crescer e tornar-se crianças mais inteligentes.
Em dois estudos, os pesquisadores analisaram mais de 3.000 crianças na Grã-Bretanha e Nova Zelândia. As crianças que foram amamentadas tiveram um QI mais elevado

Usar drogas recreativas
Um estudo de mais de 6.000 britânicos nascidos em 1958, 2012 encontraram uma ligação entre alto QI na infância e o uso de drogas ilegais na idade adulta, escreveram os pesquisadores James W. brancas, Catharine R. Gale, e David Batty.
Eles concluem que “em contraste com a maioria dos estudos sobre a associação entre o QI na infância e saúde mais tarde”, as suas descobertas sugerem “um alto QI na infância pode levar à adoção de comportamentos que são potencialmente prejudiciais para a saúde (ou seja, o excesso de consumo de álcool e uso de drogas) na idade adulta.

Ser canhoto
O canhoto costumava ser associada com a criminalidade e as pesquisas ainda não são claras quanto à questão de por que existem mais canhotos entre as populações criminais.
Uma pesquisa recente revela o canhoto com “pensamento divergente”, uma forma de criatividade que lhe permite chegar a novas ideias, pelo menos entre os homens.

Ser alto
Um estudo de 2008 revelou que indivíduos mais altos pontuaram mais em testes de QI quando crianças e ganharam mais dinheiro que os adultos.
Os investigadores escrevem: “durante toda a infância, as crianças mais altas desempenho significativamente melhor em testes cognitivos“.

Beber álcool regularmente
O psicólogo evolucionista Satoshi Kanazawa e colegas descobriram que, entre os britânicos, assim como os americanos, adultos que consumiam álcool, quando era crianças e na adolescentes,  pontuaram mais em testes de QI.

Aprender a ler cedo demais
Em 2012, os investigadores analisaram cerca de 2.000 gémeos idênticos no Reino Unido e descobriram que o irmão que tinha aprendido a ler mais cedotendeu a maior pontuação em testes de capacidade cognitiva.
Os autores do estudo sugerem que a leitura desde tenra idade aumenta tanto a capacidade verbal e não verbal (por exemplo, raciocínio).

Preocupar-se demasiado
Um crescente corpo de pesquisas sobre a ansiedade sugere que os indivíduos ansiosos podem ser mais inteligentes do que outros em determinadas maneiras.
Num estudo, por exemplo, pesquisadores pediram a 126 estudantes de graduação para preencher questionários em que indicariam quantas vezes eles se sentiram ansiosos, ou pensaram continuamente sobre situações que os incomodava.
Os resultados mostraram que as pessoas que tendem a se preocupar muito pontuaram mais em medidas de inteligência verbal.

Ser curioso
Um estudo da Universidade de Goldsmiths em Londres chegou à conclusão que o investimento intelectual, ou “como as pessoas investem o seu tempo e esforço no seu intelecto“, desempenha um papel importante no seu crescimento cognitivo.

Também vais gostar destes:
Pessoas inteligentes são mais preguiçosas, diz pesquisa.
Pessoas inteligentes tendem a ser mais desorganizadas, ficar acordadas mais tempo e a dizer mais palavrões, diz estudo.

Ser desarrumado
Um estudo publicado no “Psychological Science” pela Universidade de Minnesota Carlson School of Dr. Kathleen Vohs revelou que trabalhar num quarto desarrumado aumenta os níveis de criatividade.
Então, se és desarrumado e alguém te disser para limpar o teu quarto, responde apenas que estás a alimentar a tua criatividade e inovação.

Não tiveste relações amorosas antes de ingressar a Universidade
Estudantes do secundário com QI mais alto são mais propensos a ser virgens do que aqueles com QI médio ou inferior, de acordo com um estudo da Universidade da Carolina do Norte, em Chapel Hill. A amostra do núcleo observou 12.000 adolescentes do 7º ao 12º ano.
Não foram só os adolescentes com os QIs mais altos com maior probabilidade de ser virgens, eles também eram menos propensos a beijar ou dar as mãos com um parceiro romântico.

Tradução e adaptação: Soutaoboa