Eu tenho uma confissão a fazer: sou casado, mas estou saio com uma mulher incrível! Bonita, inteligente, esperta, decidida e com uma fé imensa em Deus. Eu gosto de sair para jantar com ela, ir ao cinema, ao teatro, dizer sempre o quanto ela é linda! Não consigo me lembrar da última vez em que eu fiquei irritado com ela durante mais de cinco minutos. O sorriso dela parece que sempre ilumina o meu dia, sejam quais forem as circunstâncias.
Às vezes, ela vem ter comigo ao trabalho sem aviso prévio. Ela cozinha coisas deliciosas! Não consigo acreditar na minha própria sorte de estar a sair com uma mulher dessas, mesmo depois de casado! Aliás, eu encorajo todos vocês a tentarem a mesma coisa e a verem o quanto a vida pode mudar!
Ah, sim: já falei para vocês que a mulher com quem estou a sair é a minha esposa?
Afinal, não é porque és casado que os encontros com a tua mulher têm que terminar.
Eu sinto a necessidade de continuar a sair com a minha mulher, mesmo estando casado. Eu não tenho que parar de cortejá-la só porque nós dois já dissemos “sim”. Muitas vezes, vezes demais, até, eu vejo relacionamentos que param de crescer porque as pessoas param de tomar a iniciativa e de encher o parceiro de atenções carinhosas.


Os encontros são momentos em que se conhece alguém de maneira especial e única. Por que abandoná-los? Aquelas “borboletas no estômago” do primeiro encontro não devem desaparecer só porque os anos se passaram. Acordar todos os dias e conquistar o cônjuge como se vocês ainda estivessem no início dos seus encontros: faz isso e vais ver uma mudança drástica, para muito melhor, no teu relacionamento.
A chave de qualquer relacionamento é a comunicação e a constante procura. Ninguém quer ficar com alguém que não leva essas coisas a sério de todo o coração. Convido vocês a marcar encontros com o seu cônjuge, a se esforçarem com todo o coração e a entender que tudo isso tem que continuar mesmo depois de vocês terem dito “sim”.

FONTELetras da vida

Partilha