As tempestades vão começar a ter nome em Portugal. Também os furacões e os tufões terão nomes de pessoas.

Tudo não passa de um acordo entre o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) e o os institutos congéneres de Espanha (Aemet) e França (Méteo-France).

Quando um destes países activar o aviso laranja ou vermelho, fica automaticamente encarregue de dar um dos nomes que compõem a lista pré-estabelecida de denominações. Desta lista fazem partes nomes bem portugueses, como José, Rosa ou Vasco.

Ana é o nome do fenómeno meteorológico que já se começou a formar no sudoeste da Irlanda e que chegará brevemente a Portugal.

A Proteção Civil já tinha alertado para o agravamento do tempo, com chuva forte e persistente nas regiões do Norte e do Centro, estendendo-se depois a todo o Continente, com queda de neve, vento forte e agitação marítima.

Também vais gostar destes:
Um estudo revela que morar junto ao mar reduz o stress psicológico.
Casas flutuantes com capacidade de suportar furacões.

O IPMA avisa para a “chuva forte e persistente nas regiões do Norte e do Centro no domingo e na segunda-feira“, sendo que a chuva forte se estenderá “a todo o território do Continente a partir da madrugada de segunda-feira, até ao final da manhã desse dia”.


 
Partilha