A modelo Lauren Wasser, de 26 anos, quase morreu após o uso de tampão. Ela contraiu uma doença rara chamada síndrome do choque tóxico (TSS, na sigla em inglês), que pode ser causada por materiais sintéticos usados em tampões. Depois de perder a perna direita em devido à intoxicação, a americana agora processa o fabricante do produto e faz campanha pelo banimento desses materiais.

Lauren conta que, naquele dia, trocou de tampão três vezes. De manhã, à tarde e à noite. Mas, na festa de um amigo, começou a sentir-se muito mal e decidiu ir para casa dormir. Foi encontrada no dia seguinte pela polícia que, levada por um amigo, achou a jovem deitada no chão ardendo em febre.

Lauren foi encaminhada às pressas para o hospital, onde médicos disseram que ela havia sofrido um ataque cardíaco. Com os órgãos à beira da falência, a modelo estava perto da morte. Ninguém sabia dizer o que estava acontecendo, até que um especialista perguntou se a americana estava usando um absorvente. O material foi então enviado ao laboratório, onde exames atestaram a síndrome de choque tóxico.

Esse mal consiste numa série de complicações causada por infecções, frequentemente envolvendo a bactéria Staphylococcus aureus. É uma doença rara, que vem associada ao uso de tampões desde que algumas mulheres morreram nos anos 80 supostamente devido a substâncias químicas em absorventes da Proctor & Gamble’s.

A síndrome de choque tóxico é rara, afecta 1 a cada 100.000 pessoas, mas tem alto grau de mortalidade.

Também vais gostar destes:
A tendência masculina que promete tomar conta deste Natal é a Barba de Glitter
Abram os olhos homens: ter uma mulher chata pode ser benéfico para a saúde.

Lauren sobreviveu, mas ficou traumatizada com a experiência e perdeu metade da perna direita, consumida por uma gangrena gerada pela infecção que se espalhou pelo corpo dela.

FONTEO Globo


 
Partilha